segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Um amigo que perdi

Também eu quero deixar aqui ( no meu blogue) marcada a data em que parou o coração dum sr., que comecei a estimar à 58 anos atrás.Era o sr.Artur. Digo que comecei a estimá-lo porque foi nessa altura que ele veio viver para "a minha" rua,pois casou com a minha amiga e visinha,a Arminda,de quem eu costumo dizer a rir, que é a minha irmã mais velha... Eles eram muito novos,mas ele logo captou a estima dos mais velhos pela sua conduta respeitosa e agradável.Pessoalmente também recordo a estima que sempre me dedicou,sendo eu nessa altura uma adolescente e ele um sr. já casado, e posteriormente um pai, vaidoso com a sua primeira bébé. Eu adorava a menina,e igual aconteceu com os gémeos que apareceram mais tarde,e com a irmã,a ultima a chegar. Recordo em especial o batizado dos gémeos,fui convidada,foi uma festa. Eram dois,facto pouco comum nessa altura; a minha amiga Arminda atarefada a vesti-los,e a dar apoio ao que se passava lá dentro na cosinha, pois o almoço foi lá em casa,parecia um casamento.O sr. Artur (boa figura) impecável no seu fato azul escuro,radiante,dava e recebia abraços,estava feliz ! Que alegria naquela casa! Os anos passaram, o dia do meu casamento também chegou,e entre os convidados esteve o nosso amigo,ainda guardo o cartão de visita com votos de felicidades,que ele juntou ao dinheiro que me ofereceu dentro dum envelope.Fomos viver para Lisboa,mas quando vinha a Montemor, a casa deste casal era o meu hotel, inclusivamente dávam-me a cama deles...Só pessoas muito amigas têm estes gestos. Eu reconheço e não esqueço.
Estava ao facto do seu estado de saúde,pois o telefone é um meio ao dispor,e a minha amiga logo me comunicou o seu internamento;mas tantas vezes ele esteve internado,seria mais uma vez, pensava eu... porém,acabei por perceber que estava errada,perdi a esperança, era diferente, iria ser a ultima.
Naquele dia bonito,dia de Nossa Senhora (8 de Dezembro) o seu coração parou. Embora aguardásse essa noticia,custou-me ouvi-la.
Somos adultos,mas não é de ânimo leve que vêmos partir sem retorno,aqueles que nos estimaram ao longo duma vida...

2 comentários:

Anónimo disse...

Dilita
Não posso deixar de lhe agradecer esta homenagem que faz à memória de meu pai.
É com as lágrimas nos olhos que o faço... eu era aquela primeira bebé que ele adorava e adorou sempre (não mais que aos outros, mas por ser a primeira considerava-me especial)... nada mais acrescento, apenas o meu Muito Obrigada!
Este Natal o céu vai ter, para mim, mais uma estrelinha a brilhar. Que Deus o tenha em descanso.

Um Feliz Natal para si e toda a sua família, com muita saúde, paz e amor.

Um beijo com a amizade da
Maria Helena (Lenita)

Amordemadrugada disse...

Dilita
Os meus pesames
Venho desejar Umas Santas Festas e td de bom em 2010
besito amigo
;)