quinta-feira, 15 de outubro de 2009

A festa das eleições


O advento das eleições quer das legislativas quer das autárquicas, é uma espécie de carnaval; diz-se tudo (ninguém leva a mal) manifesta-se estima a rôdos com beijinhos e abraços,tudo ao faz de conta,porque bem sabemos que a amizade não se sente por cada pessoa que casualmente encontrâmos,e que nem conhecêmos,portanto lá está a continuação do carnaval,fora da época... As televisões ajudam e muito,porque práticamente só falam de eleições,e todas em simultâneo. É o antes,é no durante,é no depois... é cá um tratamento intensivo... que naturalmente deixa marcas,e a verdade é que é isso mesmo que se pretende,que a "injeção" produza efeito.Mas a verdade é que esta alienação,(perdoem-me o termo) também tem o seu mérito: animado pelo folclóre, o povo parou de pensar nos problemas que o afligia,e até na epidemia prometida,( e muito"badalada") ! De boa vontade relegou o fantasma da gripe,quase se esqueceu de lavar as mãos,animou-se,e entrou na festança ! E até foi feliz... depois como no carnaval,em que tudo acaba na quarta feira,também concluídas as eleições acaba a euforía, vão para o lixo as bandeiras,os políticos já não distribuem saudações em profusão,nem esporádicas sequer! Bastam-se a si próprios agora.
E o povo fica só, resta-lhe ainda a esperança!
De esperança também se vive,qualquer dia há mais....

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Ainda o chouriço de Quiaios...


Apesar de no dia de ontem ter sido feriado,não li nenhum jornal.Ao meio da tarde decidi não trabalhar mais,afinal para quê só parar à noite? O trabalho doméstico é análogo à Fénix,não renasce das cinzas, mas existe e nunca acaba,é um safádo porque não é visivel,e é pouco valorisado.Diriji-me ao sofá,sentei-me o mais comodamente possível,acompanhada de outro livro de Paulo Coêlho, e durante umas duas horas saboreei aquela escrita simples,que dispõe bem sem ser necessário pensar muito.Sim porque às vezes pensar,também enfada...
Este arrazoado todo para justificar o adiamento da leitura do jornal... não era necessário,mas eu sou assim,"massadora comigo própria": hoje lá fui cumprir o ritual,primeiro a necrologia,depois tudo o mais...e para minha surpresa já vinha a noticia da inauguração e fotografia do monumento ao chouriço de Quiaios.Talvez esteja bonito,mas pelo jornal é dificil perceber. No entanto esta iniciativa positiva,que visa homenagear a população,especialmente (os) ou (as) artistas chouriceiras, por terem criado um artigo rico de qualidade,êsses sim é que merecem o louvor! Portanto no meu entender (e não sou de Quiaios) devia ser assim -
"Monumento Aos Artistas Chouriceiros de Quiaios"
Pela Arte Com Que Produzem o Inconfundível Chouriço de Quiaios!
(não sería melhor assim do que "monumento ao chouriço?........" )

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

O chouriço de Quiaios


Voltei as costas a tudo,e entrei no carro com o meu marido rumo ao Algarve.Com algumas excepções,este ritual acontece há mais de vinte anos,sempre para a mesma praia Armação de Pêra.Já visitámos outras, mas nunca rejeitámos esta:ou somos conservadores ou comodistas,ali já sabemos tudo de cór,conhecemos as pessoas e nos conhecem,aquela familiaridade é algo que nos prendeu. Assim pelo meio da tarde instalámo-nos,a residência também já faz parte de nós,e por este andamento nota-se que as férias são apenas sinónimo de malandrice,nada de novo, e começo a perguntar-me se continuo a gostar de ir e estar,ou se pelo contrário isto apenas faz parte da rotina de cada mês de setembro... Mas tudo vale a pena diz o povo,quando a alma não é pequena... e quando acontece a viagem de regresso e se entra na nossa residência habitual,a nossa casa,que sensação agradável,até parece que a casa é mais bonita. Bem retornei aos meus hábitos - fui ler os jornais que a minha filha tinha colocado diáriamente sobre a secretária,para nós.Eu tenho um hábito mórbido (segundo ela) de ver em pormenor a necrologia,mas isto é crónico,nada há a fazer. Depois leio os textos do Fala o Leitor,os artigos dos colaboradores habituais,e das noticias leio só os titulos... No entanto um desses titulos prendeu-me a atenção pelo excêntrico (quanto a mim) do projecto... E era assim mais ou menos: Quiaios vai erijir um monumento (ou estátua) ao chouriço ! Eu sempre vi em cada estátua erguida, uma homenagem a alguém superior,que pela sua arte, ou bondade,santidade,patriotismo,trabalho,etc,mereceu ficar perpéctuado,portanto jamais esquecido.Também de acordo com algumas regiões do país,encontrâmos estátuas representando animais, no ribatejo é o touro e o cavalo, em Setúbal os golfinhos,e haverá mais... mas duma forma geral uma estátua (salvo excepções) é uma obra bonita,mercê da sensibilidade do artista que a cria,e lhe dá forma o mais real possível. E a estátua ao chouriço como será? Só uma argola ? Ou várias agrupadas... O autor terá de se esforçar, porque o chouriço de Quiaios não tem beleza nenhuma..."o que ele tem é um sabor que supéra e muito,o seu aspecto sem graça."