quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Sonho

Aquele velho Palácio outrora quase um castelo, tornou-se uma ruína. Pelas inumeras fendas dominantes em toda a sua estrutura, entrava o vento que furiosamente sibilava e, triunfante, repetia em cada rajada: - Vê  velho palácio, de nada valeu teu porte altaneiro, tudo tem seu fim, o tempo aniquila... Tantos anos rodopiei em teu redor usando as minhas forças, parecias inexpugnável! Eu dizia para mim: - Não serás eterno! Eterno sou eu! E hoje aqui estou passeando livremente nas tuas salas como rei e senhor.
- Sabes Palácio, hoje é noite de Natal!
- E o velho Palácio semelhante a um velho Fidalgo de cãs embranquecidas e alquebrado pela idade, murmurou num misto de coragem e dignidade: - Sei sim, é Natal ! como poderia eu ter esquecido?
- Sim, recordas o conforto dos teus aposentos, as amenas cavaqueiras, a Familia, as lautas Ceias de Natal...
E o Palácio retorquiu agora com altivêz: - São famosos os serões na Província, aqui assisti a muitos. E também ás Consoadas aonde estavam presentes os Trabalhadores da Quinta e os Pobres do nosso pequeno Povoado; o Senhor Seabra era um bondoso coração!
A Lareira, ainda cheia de lenha mas apagada, suspirou e repetiu tristemente: - era um bondoso coração... Para aqui estou, fria e inútil. No seu tempo eu crepitava e aquecia as crianças da aldeia sentadas à minha volta enquanto ele lhes contava histórias nas tardes frias de Inverno; de tanto as ouvir eu as aprendi: "Era uma vez um Capuchinho Vermelho que ia a..." - Cala-te velha desdentada! - rugiu o vento furioso, fazendo cair mais um pedaço de estuque; agora o Senhor sou eu, destruo a meu belo prazer e detesto ouvir falar de ternuras.
O luar deixou de brilhar, a Sala tornou-se negra como Brêu e, subitamente, um após outro, os relâmpagos rasgaram o Céu. Um trovão fantástico ecoou e num clarão imenso de mil cores a lenha da lareira incendiou-se dando luz e calor àquela sala triste. A porta rangeu nos gonzos e deixou passar um vulto, talvez o do velho Fidalgo - o Senhor Seabra - que avançou lentamente e alcançou o maple estofado a seda, gasto pelo uso e coberto de poeira. Sentou-se frente ao lume que crepitava e desenhava nas curtas labaredas danças fantasmagóricas jamais executadas. O silêncio voltou àquele Palácio em ruína.
Pouco depois vozes maviosas ouviam-se à distância entoando em côro canções de Natal e, pelo canto do vidro quebrado da janela, distinguia-se iluminada por uma bela estrela a Gruta de Belém.
Mas não eram as habituais figuras estáticas do Presépio que lá estavam. Ali tudo era físico, humano, e até o Menino Jesus ora dormia, ora chorava, como fazem os bébés recém nascidos.
" Maravilha", pensei;  "vou pedir á Virgem Mãe que me deixe pegar o Menino nos meus braços!"
E corri; corri tanto, tanto, até cair de cansaço.


Queridas amigas e amigos, peço que aceitem os meus cumprimentos
com os desejos de Feliz Natal !
Que a alegria reine em vós, sempre, mas em especial nesta Quadra Natalicia.

( eu fico um pouquinho triste; - não consegui chegar à Gruta de Belém...)

10 comentários:

Evanir disse...

Que Deus abençoe seu Natal
seja uma noite linda junto dos seus famíliares,
pois é uma noite muito especial.
Que as estrelas dos céus brilhe sobre
todos nós.
Obrigada por ter convivido
comigo mais um ano ,
que você contiue com um lindo sorriso sendo
anjo bom na minha vida.
Um abraço e meu carinho.
Um Feliz Natal para você e sua preciosa
família.
Que o amor de Deus
esteja em nossos corações sempre.
Carinhosamente, Evanir.

Nouredini.'. Heide Oliveira disse...

Minha querida,
é fácil entender porque não chego. Apenas não notará que vive nela e ela em vc. A VERDADEIRA MORADA é o seu coração.
Neste, hj e sempre haverá um Cristo nascendo em cada atitude.
TENHO CERTEZA QUE EM VC , ESTA GRUTA BRILHA MAIS QUE TODAS AS OUTRAS LUZES DE NATAL
Boas festas junto aos seus.

Anónimo disse...

SOU DO BLOG FOLHAS DE OUTONO !!!!
Aproveitando o dia de NATAL,para rever os amigos queridos e,você é um deles,do qual sempre presei.Guardo muitos comentários ou melhor dizendo.Guardo todos que deixastes ao longo do nosso convívio.Hoje o FOLHAS DE OUTONO se encontra sem movimentação,mais deixo dito que breve entrará o FOLHAS DE OUTONO II e,com certeza você será convidada para a inauguração dele.
Hoje só vim matar as saudades e ver se você está bem.
FELIZ NATAL !!!!!!!!!!!

M D Roque disse...

Olá Dilita. Obrigada pela visita. Linda a história que contou. Faço votos para que 2014 lhe seja favorável . Um beijo da D.

Manuel disse...

Venho desejar um Bom 2014.
Muito amor, paz, saúde, alegria e uns Euros no bolso.
beijinho

dilita disse...

Obrigada Evanir.

Um abraço com os desejos de que 2014, lhe traga de bom, tudo o que o Ano Velho não trouxe.

Ainda um beijinho para si.

dilita disse...

Olá amiguinha,

Respondi no seu Café e Bolinho, mas aqui vai o meu agradecimento que sempre é diminuto em relação à estima que me dedica.
Beijnho.

dilita disse...

Para Folhas de Outono
Á grande Severa Cabral o meu obrigada pela visita, e pela promessa.

Estou bem.
Saudações.

dilita disse...

M D Roque

Grata pelos Votos de Bom Ano.
Desejo-lhe igual. Que todo seu desejo se concretize.
Beiojinho

dilita disse...

Caro Manuel
Obrigada!
Faço minhas as suas palavras, para lhe desejar igual. E que haja sempre uns euritos aconchegados no bolso...
Abraço, e bom dia.