sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Lampreias no tempêro

Olá amigas!

Muito obrigada pelos vossos comentários acerca do peixe.
Achei imensa graça, fizeram-me sorrir, gostei muito.
Pois de facto trata-se de lampreias. São vertebrados aquáticos ciclóstomos, de forma cilindrica e alongada, identica à enguia. Vivem durante anos no mar, e posteriormente dirigem-se a alguns rios, com a finalidade de desovar, e morrer depois, se entretanto não forem pescadas.Têm pele viscosa sem escamas, e podem atingir um metro de comprimento.
Há quem nem queira ouvir falar em lampreia, e há quem faça longos kilómetros para a ir saborear em restaurante já conhecido. Alguns Lisboetas fazem isso, vêm até Penacova. Também no Minho, em Monção, existe esta especialidade e confecionada de acordo com os seus segredos.Nem todos os rios do nosso País são "condutores" de lampreia, só alguns mais a norte, e a duração da  pesca é limitada e curta em todas as zonas, tornando assim a lampreia um peixe caro.
Aqui na periferia da minha Cidade, onde o rio Mondego caminha para a Foz, há pescadores de lampreia e lampreias, embora eles se queixem de que cada vez há menos quantidade.
Sem intermediários, o meu marido compra ao próprio pescador, que ano após ano sempre promete escolher duas grandinhas. Depois outro amigo (este de infância) que também deixou a nossa terra e vive aqui em contacto com a Natureza, numa casa rodeada de terreno até perder de vista, encarrega-se de as amanhar, e tratar; com vinho, vinagre, alhos, louro e salsa, e acondicionar de modo higiénico para o meu marido trazer no carro. E foi assim ontem, desembrulhei, tirei o têsto e fiz a fotografia.
Hoje arrumei-as na arca frigorífica. Talvez no Domingo cosinhe a primeira metade duma. E porquê só metade? Porque as nossas filhas não gostam. Entretanto, nós os dois gostamos bastante.
Pois amigas, eu compreendo que vos faça impressão, talvez pareça serpente... ou não apreciem o gosto do peixe ou dos condimentos, nomeadamente da nóz moscada...
Gostaria de vos dar a provar, mas antes teriam de ver cosinhar, e sentirem o cheirinho.
De novo, grata pela visitas, e comentários de todas vós.
Também um abraço ao Zito amigo, que sabe de marinadas...

6 comentários:

Mona Lisa disse...

Vi-as, ao vivo, pela primeira vez quando dei aulas em Hombres (S.Pedro de Alva) concelho de Penacova.

Eram apanhadas no rio Alva. Arrepiei-me só de as ver e nunca consegui provar.Eram autênticas cobras!!!
Também não consigo comer enguias que não são tão horrorosas como a lampreia.

Beijinhos.

Ivone disse...

Amei saber o nome do peixe, não conheço, já vi enguia, daí o meu palpite, mas acho que nunca comi enguia?!
Abraços amiga sempre querida!

dilita disse...

Olá Lisa

Respeito a sua sensação de desagrado em relação a estes peixes.É um factor natural, muito forte,compreendo.
Eu sou o oposto; também gosto muito de enguias...

Obrigada pela visita e troca de palavras.

dilita disse...

Querida Ivone,
Grata pelo seu interesse e palpite.
Gostei de ter por aqui.
Beijinho.

✿⊱Lilasesazuis✿⊱by Lígia✿⊱ disse...

Dilita, kkkkk...nunca que ia adivinhar !! Menina, nunca ouvi falar nessa iguaria.

Mamys aprecia muito os peixes: pescada, camarão e salmão e também peixes dos nossos rios como o dourado etc.

Mas, achei interessante.

Você aprecia, certamente terá um bom sabor.

Tenha um excelente domingo, com muita paz.

Nós aqui vamos receber 2 amigas para o almoço...vamo agora no mercado comprar ingredientes para uma torta entre outras coisas.

beijinhos, fica com Deus!!

Lígia, mamys e =^.^=

dilita disse...

Querida Ligia

Bom ter passado por aqui.

Não é bonito, é negro este cozinhado. Na foto apareceu o môlho amarelinho,coisas do flach, porque a verdade é que prevalece o nêgro. Eu gosto muito, e gosto de ser eu a cozinhá-la. Sei como faço...
"gosto de tempêros fortes..."
Beijinhos, e agradecimentos.