terça-feira, 29 de julho de 2014

Chegou pela manhã

Hoje trago mais uma das minhas histórias verdadeiras, esta é novinha.
Pois é verdade, aconteceu ontem de manhã.
Com o meu marido já no carro à minha espera para irmos a Montemor, saí de casa apressada desci no elevador e caminhei  pelo átrio em direcção à saída. Abri a porta, e com espanto vejo um passarinho a voar na minha direcção,  pousando ali mesmo ao meu alcance, num pequeno relevo da placa do intercomunicador. Eu tinha a mão esquerda ocupada com uns sacos e a carteira, e mesmo sem esperança aproximei do passarinho a mão direita, que é mais hábil, mas neste caso não resultou. Ele voou para o outro lado da porta e pousou em cima das caixas do correio. Ficou quieto a olhar para mim, e eu a olhar também.
Não pensei muito, chamei a minha filha, e o passarinho à espera... O resto adivinha-se, ela com as mãos livres não teve dificuldade em o agarrar. Logo percebemos que era um canário, novinho, lindo, um amor.
Depois, eu corri para o carro, pois os homens sofrem com esperas... e ela veio para cima contente com o passarinho, mas a dar voltas à cabeça sem saber aonde o "arrumar," provisoriamente é claro. Quando regressámos vim encontrar o passarinho tratado com pão molhado, e água, e sabem aonde? Isto o necessário é ter ideias rápidas; dentro duma fruteira de rede. Uma fruteira redonda e com tampa da mesma rede, e o habitante não se mostrava nada infeliz.

Depois do almoço a minha filha foi comprar uma gaiola, e alimento adequado, e agora andamos todos incluindo o meu marido, "a adorar o passarinho" (passe o exagero do termo adorar)

Bem, na verdade o passarinho veio ter comigo, e eu entendi que devia ficar com ele. Já tenho ouvido opiniões baseadas em estudos, dizerem que nada acontece por acaso...




A minha filha mais nova, a mãe do Gabriel, é dessa opinião, e até me disse que o passarinho veio para me trazer alegria.  Agrada-me essa perspectiva.

Quero adquirir para ele uma companhia, pois não gosto de ver o passarinho sozinho.

E agora caras amigas e amigos, digam lá se não é um canarinho cheio de formosura?! E simpático que até deixou que eu o fotografásse.
É um passarinho caseiro, não o roubei à Natureza, estou tranquila.



10 comentários:

Manuela Pacheco disse...

Lindo!
Deus tem miminhos maravilhosos para nós que alegram o nosso coração. A alegria não foi só para a sra. e sua familia, mas também para todas as pessoas que leem esta história. Manuela

Viviana disse...

Querida Dilita

Mas que história mais linda!!!

Se acontecesse comigo...eu "delirava"!
AH! mas como ele é lindo!

É mesmo novinho...de ninhada recente.
Decerto fugiu da gaiola...
Já me fugiu um, novinho, e apanhei-o no dia seguinte no meio de um bando de pardais. Incrível, não?
É que ele reconheceu a minha voz e deixou-se apanhar...

Tenho dois canários; estava hoje a pensar que tenho canários sem interrupção..há 32 anos.

Mas olhe, amiga, lindo como este, nunca vi.

Parabéns, foi muito lindo o que lhe aconteceu, não deve ter sido por acaso...

Um grande abraço

Viviana

AH! Vou levar comigo a foto dele, certo?

Mona Lisa disse...

Também penso assim:
Nada acontece por acaso!

O canário tem umas cores fabulosas. É tão fofinho!

Beijinhos.

Nouredini.'. Heide Oliveira disse...

Querida,
o pássaro escolheu a morada e a dona.
que lhe faça companhai e traga alegrias.
bjs , já recuperada da virose e das preocupações.

dilita disse...

Olá Manuela Pacheco

Gostei das suas palavras,fico agradecida por elas e pela sua visita.
Beijinho para si.

Quis entrar no seu blog, e não consegui. Não sei o porquê...

dilita disse...

Amiga Viviana

É a primeira vez que tenho um canário, por isso, tudo é novidade e receio.
Com os piriquitos era diferente, também foram nossa companhia alguns 30 anos.

"Engraçado o seu fugitivo conhecê-la pela voz..."
Beijnho.

Ah, já esquecia, leve todas as fotos que deseje.

dilita disse...

Olá Lisa

E eu que tinha dito que não queria comprar mais passarinhos... Então este veio pelo seu próprio voo,sem haver necessidade de transação. Assim,tinha mesmo de o acarinhar.
Abraço.

dilita disse...

Olá Nouredini

Ainda bem que está recuperada da virose e da razão da grande preocupação.

O passarinho quis vir para mim,se o deixásse voar, certamente as gaivotas que também por aqui aparecem, davam conta dele. Coitadinho,nem quero pensar...

Continuação de melhoras.
Beijinho.

Lilasesazuis Gata disse...

Como ele é lindoooooo!!

Ah, que bom que encontrou um lar amoroso.

Será amado e cuidado com todo carinho por você e família.

Eu adoraria ter um passarinho, mas...solto dentro de casa...porém com tantos gatinhos brincalhões...kkkksem chances.

Dilita, eu tenho um papagaio que herdei da minha avozinha....entre 50 netos, ela escolheu eu para que cuidasse dele na sua ausência.

Ele se chama Kikinho. Já tem aproximadamente 50 anos e toda a família morre de amores por ele.

Aqui no Brasil as leis não permitem que tenhamos animais silvestres sem autorização do Ibama...morro de medo que algum malvado faça denúncia e levem meu Kikinho. Nos tempos da minha avó, não tinhámos essas leis.

Kikinho é bravo. Só gosta de mim, da mamys e da Leila...fala e canta o dia inteirinho....é uma alegria.

Quando viajamos, ele vai para a casa da Leila e somente ela cuida dele..ele quer bicar meu cunhado...kkkkk

Fica muito bravo com as visitas e grita alto...kkkkkk

beijinhos para ti, querida,

Lígia e mamys e Leila e =^.^=

dilita disse...

Olá amiguinha Ligia

Grata pela visita.
Gostei do seu comentário.
Obrigada.

(depois escrevo)