sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Inocentes, a pagar pelos erros dos sabidos

Hoje o dia amanheceu escuro. Pelo barulho dos automóveis a deslizar no piso molhado, apercebi-me de que tinha chuvido durante a noite. Talvez estivesse ainda a chuver... Eu sei como a chuva é valiosa, os lavradores da minha terra diziam quando chuvia " isto é ouro que está a cair."- Mas este tempo escuro deprime-me, fico ainda mais triste do que em geral estou. Eu era alegre, cantava, e qualquer coisa ou facto mais animado me fazia rir. Agora, e de há um tempo para cá estou diferente, nem os actuais cómicos que aparecem na TV me fazem sequer sorrir.
Mas estou a falar de hoje: como é hábito antes de preparar o pequeno almoço ligo o rádio. Sou fã da antena um, que também nem sempre me agrada inteiramente, mas algo me satisfaz. Hoje porém o tema era pesado, pelo menos para mim. Falava-se da pobreza instalada no nosso País, mais própriamente nas crianças que chegam ás escolas em jejum. E naquelas que por não terem 73 centimos para pagar o almoço não comem na cantina . (nem em parte nenhuma.) Mas em que ano estamos nós? Em 1950?  Nessa altura é que era assim, nem aquecimento nem pão as escolas tinham para confortar as crianças, que ali entravam ás 9 da manhã descalças e embrulhadas num xalito fino, quantas vezes todo molhado. Eu lembro-me bem de como era, e até recordo o nome dessas vitimas. Vitimas sim, duma sociedade insensível e hipócrita, onde havia a Mocidade Portuguesa, como que a alardear um País em franco progresso; e na reta-guarda a pobreza calada, se possivel escondida, porque ser pobre, era ser diminuido.
O tempo passou, esse mal foi esquecido porque o progresso proporcionou bem estar. E não é o bem estar, regrado é certo, um direito do ser humano, e em especial para uma criança, uma vida em flor, que se acha no mundo sem perceber porquê...
Então nasce para sofrer ? Logo na infância! Quando ainda nem sequer sabe o que é o pecado ou a maldade... Voltámos aos anos 50? -Senti que sim, e fiquei mais triste ainda. Eu sei, todos sabemos, que no nosso País uns mais do que outros, todos estamos mal, salvo excepções para aqueles que acumularam teres e haveres, e agora dão palpites, lérias, e vivem fartos e felizes. Gostaria de perguntar (aos próprios) a estes, e aos responsáveis atuais, se quando tomam conhecimento destas noticias tristes e verdadeiras, se não sentem remorsos... Dizia Padre Américo - " Mãe, como podes dormir tranquila, sabendo que enquanto os teus filhos dormem alimentados e quentes, outros iguais a eles, sofrem com fome e com frio..."

Esta frase dum Santo, dita por ele há muitos anos, devia ser ouvida e sentida, por quem está ao leme desta barca cheia de rombos, que se chama Portugal.

8 comentários:

Eloah disse...

Querida que triste realidade está a assolar este país tão belo como Portugal.Nós aqui de além mar torcemos pelo nosso pais irmão desejando que este período instável logo passe e a economia cresça trazendo paz ao povo.
Bjs minha amiga.Eloah

Moça Desafinada disse...

Eu tenho 29 anos, e quando o meu pai e a minha avó contam o que se passou, parece que as coisas estão a andar para trás.
As coisas que passam nas radios e nas noticias quebram o coração a uma pessoa, e a frieza dos que lá estão em cima, ainda mais...
Concordo com tuco o que este texto tem.
(menos com a chuva porque gosto muito dela, hehe. E nem é ela que me tem posto mais triste... são mesmo essas noticias)
Agora nem televisão tenho porque o meu aparelho de TDT deixou de funcionar...

Beijinhos grandes para si, e um belo fim-de-semana

ps: Este fim-de-semana vou fazer o peixinho no forno com as batatinhas.
Aquilo são jantares mais rapidos, visto que muitas vezes chego a casa ás 21:30, e quero é comer que fico cheia de fome :D

Tétisq disse...

Já nos levaram quase tudo, agora estão a tentar levar o que falta: - a esperança...

Viviana disse...

Querida Dilita

Olá, amiga.

Compreendo tão bem a sua raiva e a sua tristeza!

É a realidade.

Quem nos trouxe para este caminho devia ser julgado e pagar por isso.
Podiam pagar com o dinheiro com que se encheram que os faz levar vidas de ricos...viver nos melhores bairros de Paris?...

Os politicos que nos enganaram, deviam pagar a divida á troika com as suas fortunas, e não serem aqueles que nada contribuiram para isso.

Ah! mas o povo tem que abrir os olhinhos e mudar isto!

Não os pode voltar a pôr lá.

Um abraço, minha amiga

Por aqui o dia está frio mas cheio de sol e luz. Que bom!

Um beijo e um bom fim de semana
Viviana

dilita disse...

Querida Eloah,
é verdade, não há tranquilidade no presente, e esperamos o futuro com apreensão. Já não vai ser em meu tempo de vida que Portugal esteja recuperado. Receio muito pelo meu neto, e por todas as crianças.
Obrigada, Beijinho.
Dília Maria.

dilita disse...

Olá mocinha linda,(desafinada? não!)

Eu venho desses tempos dificeis, e parece que isto é um ciclo, e por isso está de volta. Só há uma diferença: -Existem ajudas,não são suficientes, talvez, mas dantes não havia nada. Mas é muito triste que a situação chegásse a este ponto, depois das pessoas terem conhecido melhores dias.
Beijinho, volte sempre.
Dilita.

dilita disse...

Olá Tetisq,
Bem aparecida seja...
Eu também tenho andado um tanto calada, mas não afastada.
A esperança pois, é a ultima a morrer, mas por vezes já está moribunda...
Um abraço.
Dilita.

dilita disse...

Olá viviana amiga,
Eu sei que me compreende.
Estes politicos, agora, todos dão opiniões, todos sabem o remédio para a cura. Mas então o que estiveram lá a fazer antes? A ver o barco a deslizar para o abismo? E secalhar a achar graça, só pode ser...
Um abraço, e desejos de bem estar.
Dilita.