domingo, 19 de maio de 2013

Será algodão doce? Ou montanhas de pipocas?


Nem algodão doce nem montanhas de pipocas, é apenas o céu da minha rua nesta manhã de Domingo, em que o sol não deixou de aparecer aqui na nossa Figueira, enquanto noutros pontos não muito distantes, chove torrencialmente. "Caprichos da Natureza..."

9 comentários:

Ivone disse...

Que lindo céu! Amo olhar para o céu e ver o formato das nuvens, é lindo!
Abraços e tenhas uma tarde de domingo bem lindo!

manuel marques Arroz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
manuel marques Arroz disse...

Obrigada por partilhares o céu da tua rua.

Beijo.

Lilasesazuis disse...

Que espetáculo!!!

Que cores!!!

Querida Dilita, que sua semana seja assim, azulzinha!!

beijinhos,

Lígia, =^^= e família

dilita disse...

Olá querida Ivone
Ficar a olhar o céu e apreciar o movimento da nuvens é uma tentação.
Eu gosto destas coisas...
Agradecida pelos bons desejos para mim.
Beijinho, e dias risonhos para ti,sempre.

dilita disse...

Olá sr. Marques

O céu é de todos nós, só que eu guardei estes bocadinhos. Gostei que tivesse aceitado a partilha.
Grata pela vizita.
Abraço.

dilita disse...

Amiguinha Ligia

Abraços para D.Aparecida, e para as duas filhas queridas.

Lindas as nuvens, por isso me cativaram para a fotografia.Fiquei contente com os comentários.

Obrigada pela presença, e pelo bem que me deseja.
Beijinhos a dividir pelas tres amigas.

Evaldo disse...

Olá, Dilita!
Estou a passear pelo seu “Renda de Birras”, apreciando as notícias, a natureza de Portugal e seu estilo suave de contar as coisas. As nuvens, as flores..., e os feitos do futebol português que fez fama mundial nos pés de Torres, Euzebio, Simões...
Perdoe-me pela longa ausência de seu blog. É que interrompi as postagens por não poder dedicar o tempo necessário e merecido à blogosfera.
Obrigado pelo incentivo de seu comentário em meu espaço. Até outro dia.
Abs.

dilita disse...

Olá Evaldo

Grata pela visita e apreciação.

Oxalá o meu incentivo surta efeito... Fico à espera, e creio que não serei só eu.
Um abraço.